terça-feira, 20 de julho de 2010

Cinco Marias


Num grande tapete escuro da sala de sua avó, Joana esparramava-se brincando um joguinho maluco de zarpar ao alto, saquinhos preenchidos com arroz. E por muitos dias da infância de sua vida, "as Marias" eram as suas companheiras e com ela, cheiravam naquela sala enorme de sofás vermelhos o perfume indescritível de chocolate que tomava conta da casa nas tardes de sábado.

O cheiroso bolo ganhava uma cobertura quente, que Joana finalizava com sua avó, e a sobra, sorvida por ela com o próprio dedo na panela. As Marias? No bolso de seu vestido, como sempre estiveram em momentos bom como este: inseparáveis.

Mas o tempo passou, a triste separação aconteceu, Joana cresceu, a casa não mais a acolheu. Sua avó já não estava mais com ela há algum tempo. Mas num dia qualquer, remexendo em um velho baú, Joana brilhou os olhos dentro de uma caixinha amarelada pelo tempo. Em fiapos, as cinco Marias não esboçaram nenhum sorriso, enquanto Joana chorava entre a poeira, enxergando a "ponte" que ligava ela ao seu passado remoto, tranquilo e feliz. Ela reecontrou suas amigas de novo.

Assim é o sentimento da gente. Nascemos para o mundo, mas não temos competência para impedir laços. E quem disse que precisamos? Fomos criados pelos laços, somos frutos dele. E talvez por causa deles, a única coisa que nos prenda nesta vida sejam os laços: mas um especialmente carrega sentimentos que não consigamos explicar: os da amizade.

A amizade nasce na nossa infância, quando nem sabemos explicar os sentimentos, nos arrasta pelo tempo, e cria os laços mais fortes que podemos ter na vida, acima de qualquer distância, acima de qualquer problema que possa ter acontecido e que fora resolvido por bons, velhos e perdoáveis amigos.

Muitos já escreveram sobre a amizade. Muitos ou todos sabem o quanto significa o verdadeiro valor de uma ou várias na vida. Assim como Joana reencontra as suas "Marias", está pra nascer quem um dia nunca desccobriu que a amizade só tem sentido quando se dela desfruta com todos os laços possíveis que só nós podemos e sabemos fazer, mesmo na distância, mesmo com o tempo, mesmo com qualquer outra coisa.

Neste dia, não importam as rusgas, o time de futebol... enfim, as diferenças, tampouco aquela roupa emprestada que não volta, ou a visita que devemos. Joana nunca esqueceu das "marias". Não esqueça você também de seu amigo, não só hoje mas todos os dias, independente de qualquer coisa, pois amigos foram feitos para andar unicamente de um maneira mesmo que seja em pensamentos: juntos.

Feliz Dia do Amigo!

3 comentários:

  1. Tem que juntar tudo e publicar.
    Continua escrevendo que eu adoro!!
    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que lindo (única palavra q achei), Feliz e sempre dia do amigo.

    ResponderExcluir
  3. Amigo são raros,
    são preciosos,
    importante
    e eternos

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails