domingo, 8 de agosto de 2010

meu pai !

Quando minha bicicleta estragava, sempre o "meu mecânico" dava um jeito na situação. Aquele chuveiro que estragava bem na hora da espuma no cabelo e eu só prendia o grito e ele já estava na chave geral. Aquele fio de luz ou tomada que não funcionava, aquela telha que pingava água quando chovia, a torneira que vazava de noite,... e sempre ficava pensando como alguém podia saber tanto e de tudo.


Na cozinha, ainda não encontrei ninguém que fizesse coisas com tanto carinho e dedicação... explica tudo depois, com os temperos devidamente registrados e "arrogantemente" (sim ele pode, mesmo brigando com ele de vez em quando por isso) diz: "isso é uma criação minha especial"

Meu pai é isso: motivo de orgulho pra mim. Uma pessoa semi-analfabeta, mas ao mesmo tempo uma das pessoas mais inteligentes que tive como criador. Cresceu com muitas dificuldades e não bastando, perdeu seu pai (meu avô) quando ainda era jovem e acabou acumulando junto aos outros irmãos a função da responsabilidade pela família. Eu, por exemplo, não conheci meu avô paterno.

Meu pai talvez não teve a vida que queria, mas hoje, eu com meus 33 anos, e ele já praticamente com seus 71, nunca fomos tão abertos assim de papos mais particulares a ponto de ele ter tido a vontade ou a necessidade de confidenciar isso à mim. Tivemos uma vida com muito carinho, como qualquer filho e pai. Não me lembro meeeesmo quando levei um tapa dele, e nunca, nem de perto, tive qualquer dificuldade parecida com a que teve pra crescer com oportunidades. Nunca me faltou absolutamente nada.

Ele, quando jovem, era cantor, tocava, fazia festas como crooner nos bailes da "antiga sociedade"... mas por coisas da vida... ser artista na época era ser "prostituto", boêmio era coisa de vagabundo... meu pai acabou se dedicando à outra atividade que também fazia com perfeição desde que estava servindo o exército militar: barbeiro.

Tudo que ele fez pra mim e aos meus irmãos, hoje ele faz aos netos, e acredite: ainda cortando e barbeando os velhos amigos na mesma barbearia que trabalha há mais de 30 anos no centro de Porto Alegre e há mais de 50 anos como profissional. Nunca teve férias, mas também nunca teve patrão (isso eu tiro o sarro dele) e ele fica louco!

Quero, como pai que também sou, mesmo com os defeitos que sei que ele tem, poder ter metade da capacidade e integridade que meu velho teve de me criar e me ensinar o valor das coisas e de me fazer hoje o homem que sou. E se não conheci meu avô, talvez pelas mesmas características, posso ter tido a honra de tê-lo comigo cada momento que estou também junto ao meu pai, pois a frase é velha mas é verdadeira: "uma fruta nunca cai longe do pé".

Tudo devo aos que me criaram e me colocaram no mundo esperneando numa fria manhã de julho há 33 anos atrás. E, pelo vidro, meu pai chorando profetizou uma das primeiras coisas das quais só depois de "velho" e "pai" que me tornei, posso dizer que tinha razão... pois até o clube ao qual tenho amor, orgulho e devoção devo à ele.

Obrigado meu pai!

Feliz dia dos pais.

Um comentário:

  1. Bonito Post! E pô, ninguém te deu uns cascudos quando criança ? :)...bjs

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails