quinta-feira, 23 de junho de 2011

transgredir sempre!


Como todo e bom ser imperfeito que somos, nascemos com o dom da contrariedade. A rotina que o meio impõem seguem padrões que não são aceitos pela maioria. Quando questionados, são severamente punidos. Transgredir é, além de violar, trazer algo diferente e melhor.

Questionar, relutar com a situação é não aceitar normas impostas, pois com a transgressão achamos que algo pode ficar mais fácil. Nem todos enxergam isso. Com o tempo, muitas pessoas calam-se de tanto "apanhar", ostentando a generalização pejorativa de contestador, como se isso fosse algo negativo.

Num primeiro momento, se analisássemos o "contestador" como um revolucionário, poderíamos ter a expectativa de que toda a revolução nos traz algo de novo, mas não é o que vê. A visão que se tem do transgressor é de ameaça, logo, a sociedade pune-o por não suportá-lo, sem saber que no fundo não está preparada para ele. O que consola é vermos que toda a grande ideologia (sim, um dia ela já existiu!) começou assim: perpetuar idéias às custas de muito sofrimento.

Quando o mundo, um dia, souber dar ouvidos à trangressões e até alimentá-las, paradigmas cairão por terra e a vida pode tornar-se diferente para uma verdadeira multidão. Como diria Lya Luft: "pensar é trangredir".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails