quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

fim de ano

Dizem que sou louco,
Por pensa assim...

É esta música reflete um pouco do que acho de todo o final de ano. Esta verdadeira selva de anúncios e da abundância de sensibilidade... as empresas "incentivam" adoções em lares de idosos solitários, creches de crianças sem lar; pessoas se emocionam com uma propagandas de fim de ano... e Jesus, como compram. Compram como uma manada de búfalos desenfreada vindo contra um presépio feito de papel, fazendo da boca dos que ganham, um fiel retrato de um buraco extremamente arregaçado pelo sorriso de um bolso cheio.

Sabe para os mais íntimos, não é novidade que eu não tenho minha fé atualizada e me considero um ateu ou agnóstico (assim desta maneira espanto algum conversor de almas por pensar que seria mais uma igreja nova)* ou então esteja de mal com o Cara de um tempo pra cá e talvez me resolva com Ele aqui na Terra um dia, ou quem sabe pessoalmente mesmo, se eu não for queimar no inferno.

Contudo, nunca vou desrespeitar a fé ou o sentimento de alguém e acho sim, que se moramos num mundo onde no fim de ano se celebra algo religioso por bilhões de pessoas, devo me comportar e fazer as coisas como mandam o protocolo.

Mas vejo na cara dos responsáveis por montá-lo, que o aniversariante está longe de ser homenageado... o máximo é deixar a televisão ligada depois de meia-noite na Rede Globo que mesmo vista como uma besta dos tempos modernos, é Judia e mesmo assim transmite para os lares brasileiros a Missa do Galo e o Papa, simples assim, fala para um sofá vazio e uma sala repleta de papéis de presentes rasgados ao chão, e na mesa que se fez a ceia... sobrou tanto que poderíamos nos alimentar a semana inteira.

Ei, você agora me apedrejando e gritando: amargo, ateu desgraçado!... Te acalma querido, não precisa ir até o final do texto, mas se fores, te digo que adimito adorar festas, gosto de comer e gosto de ganhar presentes, mas vamos combinar que o mês de dezembro é o que há de mais nojento na vida de quem quer uma vida tranquila. Eu tenho filho, também preciso fazer ele feliz com um presente, sobrinhos... e assim vai... mas não muda o que acho do mês mais cínico do ano.

Desculpem, mas eu odeio o final de ano. As pessoas fingem o que não são... fazem somente em dezembro o que poderiam (em relação à generosidade, carinho, gentilezas) fazer o ano inteiro, e na virada do ano então, te desejam coisas somente da boca pra fora. Sem esquecer claro, de talvez mais uma mesa farta de coisas para alimentar um batalhão. E claro, aquela "troquinha de presentes" atrasada que não foi feita no Natal, pois todo o ano, tem o décimo terceiro salário, e ele poderia já há muito tempo trocar de nome: "Bolsa Família para Idiotas".

Após tudo isso, soma-se uma manhã de talvez 2 de janeiro onde tudo volta ao normal (mais a resssaca e as dívidas que virão) e tu quer mais é que metade de quem tu abraçou se foda!

Contudo eu ainda espero que haja um final de ano onde a alegria será verdadeira e a festa feita reunindo pessoas que realmente ama, e que abusos não aconteçam, pois segundo a religião cristã, o aniversariante que movimenta a festa toda, ganhou somente um pouco de ouro, incenso e mirra, deitado sobre uma cama de palha.


*(frase retirada de uma coluna de O Globo na "Fábula do Jornalista e do Taxista")

2 comentários:

  1. Pura verdade,passam o ano todo se mordendo,dai chega o final do ano todo mundo se ama,vira o ano começa a carnificina.
    A verdade é q dá saudade do tempo em que eramos crianças,e a inocência de achar q o mundo era perfeito e papai noel existia.

    ResponderExcluir
  2. É realmente Dezembro é o mês do amor incondicional ( o que para mim não deixa de ser uma pura falta de amor proprio) , na verdade hoje em dia o natal é feito para as crianças, o Papai Noel existe eo Natal é um dia magico!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails